O câncer testicular também está associado com risco aumentado de espermatogênese deficiente. Ele ocorre mais comumente em jovens a homens de meia-idade e é muito raro antes da puberdade ou em idade mais elevada. O risco do câncer testicular é mais alto em homens com história de testículos que não desceram. A radioterapia e/ou as drogas anticâncer geralmente não causam infertilidade nos testículos remanescentes se eles estão saudáveis.

Mesmo em um estágio inicial, ele usualmente pode ser sentido como uma pequena protuberância em um dos testículos e, se é detectado neste estágio, usualmente pode ser tratado cirurgicamente. Infelizmente, o tumor primário metastatiza precocemente e pode ser rapidamente fatal. Essa é a razão pela qual campanhas recentes de educação em saúde têm enfatizado a importância do auto-exame regular dos testículos, especialmente em indivíduos jovens.