O Local de Trabalho
Vários tóxicos ambientais que sabidamente prejudicam a função reprodutiva têm sido identificados em lugares de trabalho durante os últimos 15 anos. Vários pesticidas, algumas das substâncias químicas usadas em pinturas, tintas de impressão e adesivos e metais como chumbo, cádmio e mercúrio têm efeito adverso sobre a fertilidade. A partir de dados limitados, parece que o epitélio seminífero humano é mais vulnerável a substâncias tóxicas do que o testículo de outros animais. O sistema reprodutivo é especialmente vulnerável durante o desenvolvimento. Recentemente, o efeito estrogênico de várias toxinas ambientais tem atraído a atenção como uma possível causa das anormalidades dos espermatozóides e da grande redução nas contagens de espermatozóides ‘normais’ que tem sido observada nos homens em países desenvolvidos nos últimos 50 anos.

O gerador de pulso GnRH hipotalâmico, que controla a função gonadal, é afetado por numerosos sinais hormonais, metabólicos e neurais. Portanto, estresse, subnutrição e problemas socioeconômicos, privação emocional e drogas, todos afetam o início e a manutenção da função reprodutiva.

Fatores relacionados ao estilo de vida
Tem-se demonstrado que fumar cigarro tem efeito discreto, mas negativo sobre a espermatogênese e pode contribuir para a infertilidade, por exemplo, em homens com varicocele. Os efeitos do álcool sobre a fertilidade masculina são incertos, embora o alcoolismo de fato leve a fertilidade reduzida.

Drogas ilegais como a maconha, esteróides anabólicos e cocaína podem afetar as contagens de espermatozóides. Os efeitos da maconha sobre a reprodução foram bem estabelecidos. Homens que fumam maconha em longo prazo produzem menos espermatozóides e tendem a ter níveis menores de testosterona, menos motilidade espermática e mais espermatozóides com forma anormal do que os não-fumantes. Da mesma forma, o uso crônico de cocaína pode reduzir a produção de testosterona e espermatozóides, assim como a libido. Os esteróides anabólicos podem causar diminuição profunda na produção de espermatozóides. Algumas vezes, esse efeito é irreversível.

Tem-se mostrado que a e xposição excessiva ao calor, como o de banheiras de água morna ou saunas, diminui a produção de espermatozóides, já que os testículos são normalmente mantidos numa temperatura cerca de 1°C abaixo da temperatura corporal. Hipertermia decorrente de infecções virais também pode causar uma redução, usualmente temporária, na contagem de espermatozóides.

Lubrificantes
Tem-se demonstrado que alguns produtos usados para lubrificação durante relações sexuais, como géis derivados do petróleo ou cremes vaginais, afetam a qualidade dos espermatozóides. Solicite que o seu médico sugira um lubrificante que possa ser usado com segurança enquanto está tentando conceber.

Medicação
Um certo número de medicações, inclusive algumas medicações comuns usadas para tratar úlceras e pressão arterial alta, pode influenciar a contagem de espermatozóides do homem e a libido (estímulo sexual).

Pouco se sabe realmente sobre os efeitos de medicamentos comumente usadas sobre a fertilidade. Até recentemente, os estudos de segurança não incluíam a avaliação dos efeitos sobre as gônadas humanas. Qualidade diminuída do sêmen foi detectada, por acaso, durante o uso de medicamentos que eram dadas rotineiramente antes de seu efeito tóxico ser conhecido. Por exemplo, a sulfassalazina, usada para tratar doenças inflamatórias intestinais, pode reduzir drasticamente a qualidade do sêmen. Embora os efeitos pareçam ser reversíveis quando esse medicamento é usado em doses moderadas por um tempo limitado, a produção de espermatozóides pode ser permanentemente prejudicada com o uso em longo prazo.

Os esteróides a nabólicos, algumas vezes usados ilicitamente por atletas e “construtores” de corpos, tiveram efeitos colaterais severos sobre a reprodução, inclusive azoospermia ou oligospermia.

Os numerosos medicamentos citotóxicos usados para tratar câncer e doenças auto-imunes são potencialmente lesivas para a função gonadal, porque destroem, de forma seletiva, rapidamente, células em divisão, como as células cancerosas, mas isso também inclui as células germinativas. Por causa da divisão celular rápida, contínua, requerida para produzir os espermatozóides, medicamentos citotóxicos freqüentemente têm mais efeitos dramáticos em indivíduos do sexo masculino do que do feminino.

Discuta os efeitos de todas as medicações prescritas e tomadas por conta própria com seu médico.